Notícias e informação para o povo de Deus, dicas, meditação, reflexão, palavra, devocional, música, conteúdo de qualidade!

“Jesus de Nazaré não era na verdade um Deus”, diz papa Francisco

"Jesus de Nazaré não era na verdade um Deus", diz papa Francisco

O pontificado de Mario Jorge Bergoglio vem sendo marcado por muitas declarações heterodoxas a respeito do cristianismo como um todo, e principalmente sobre os dogmas católicos. A mais recente envolve a divindade de Jesus de Nazaré, o Cristo.

O jornalista italiano Eugenio Scalfari, reconhecido por seu vasto conhecimento dos bastidores do Vaticano, afirmou que ouviu o papa Francisco dizer que não crê que Jesus fosse a encarnação de Deus.

“Quem teve, como tocou a mim em muitas ocasiões, a sorte de encontrá-lo e falar com ele com a máxima confiança, sabe que o papa Francisco concebe Cristo como Jesus de Nazaré, homem, não Deus encarnado”, declarou Scalfari.

“Quando me coube discutir estas frases, o papa Francisco me disse: ‘São a prova provada que Jesus de Nazaré, uma vez tornado homem, mesmo sendo um homem de virtude excepcional, não era na verdade um Deus’”, acrescentou o “vaticanista” do jornal La Repubblica.

A frase atribuída a Francisco evidencia que o mais progressista dos pontífices que estiveram à frente da Igreja Católica nas últimas décadas não vê Jesus como Deus, e nesse raciocínio, é possível depreender que o líder católico não acredita no sacrifício de cruz como um ato de redenção.

“A ala conservadora da Igreja Católica tem lá suas razões para não gostar do papa Francisco. […] Do ponto de vista teológico, portanto, Francisco pensa como um herege do século V. […] Irmã Dulce precisa interceder pela salvação do papa”, escreveu o portal O Antagonista.

Inferno

Em março de 2018, Scalfari revelou que o papa Francisco dava indícios de crer no aniquilacionismo, que é uma das principais polêmicas teológicas no cristianismo, pois sugere que a alma do pecador simplesmente “deixa de existir” após a morte.

Algumas denominações cristãs adotam essa interpretação para negar a existência do inferno, embora a maioria das igrejas, incluindo a Católica, se opõe a essa interpretação bíblica.

O jornalista relatou que durante um encontro com Francisco, ouviu uma opinião que seria alinhada ao aniquilacionismo: ele teria dito que as pessoas que se arrependem “obtêm o perdão de Deus”, enquanto as que não se arrependem, “desaparecem”: “Não existe um inferno, existe o desaparecimento das almas pecaminosas”, acrescentou Scalfari.

No entanto, com a polêmica instalada, o Vaticano se pronunciou para negar as afirmações do jornalista, dizendo que a “reconstrução” da fala de Francisco desvirtuou a conversa em uma reunião privada. “Nenhuma citação do artigo mencionado deve ser considerada como uma transcrição fiel das palavras do Santo Padre”, dizia o texto da nota.

Scalfari – que já teve outras matérias sobre o papa Francisco questionadas pelo Vaticano – defendeu-se dizendo que, embora não tenha uma gravação que comprove a declaração do pontífice, sempre usa o texto para traduzir o sentido da conversa que manteve com o entrevistado.

“Tento entender a pessoa que estou entrevistando, para depois escrever suas respostas com minhas próprias palavras”, argumentou Scalfari, abrindo a possibilidade para uma distorção causada por sua interpretação pessoal.

Em 2014, Scalfari divulgou que o papa havia abolido o pecado, o que motivou um desmentido do Vaticano. Em outra ocasião, a Sala de Imprensa da Santa Sé se viu obrigada a negar que o papa tivesse afirmado que Adão e Eva são mitos.

Fonte: Gospel+

Postar um comentário

[blogger][disqus][facebook][spotim]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget