Notícias e informação para o povo de Deus, dicas, meditação, reflexão, palavra, devocional, música, conteúdo de qualidade!

“Não se deve impor que cristãos aceitem o que a Bíblia não aceita”, diz esposa de Pence

"Não se deve impor que cristãos aceitem o que a Bíblia não aceita", diz esposa de Pence

Karen Pence fez uma analogia para defender a liberdade religiosa dos cristãos que mostra o direito de cada um professar a fé que desejar.

Em entrevista ao USA Today, a segunda-dama americana foi questionada sobre sua decisão de retomar o ensino de arte na Escola Cristã Immanuel, que não permite professores ou alunos gays.

O repórter sugeriu que "um gay pode dizer que sua fé os está atacando por quem eles são". A esposa de Mike Pence respondeu: "Eu não faço essa conexão. Este país foi fundado sob a liberdade religiosa. E acho que precisamos ter cuidado ao infringir as crenças de outras pessoas. Eu acho que se você tem alguém com uma certa crença, isso não significa que eles estejam necessariamente julgando você."

Ela ilustrou seu argumento de forma eficaz: “Por exemplo, existem pessoas que têm certas restrições alimentares por causa de sua fé. Eu não sinto que eles estão me julgando se eu comer essa comida."

Ela acrescentou: "É lamentável que alguém se sinta julgado. Certamente nunca seria minha intenção que alguém se sentisse julgado por mim. Definitivamente não. Mas sou apenas uma pessoa que acredita na Bíblia, por isso não deve ser certo alguém me atacar por minhas crenças."

“O site Dallas Kosher lista um grande número de restaurantes que servem comida kosher em nossa cidade. Se eu passar por um desses restaurantes enquanto como um hambúrguer com queijo (violando a interpretação ortodoxa judaica de Êxodo 23:19 e Deuteronômio 14:21), não consigo imaginar que me sentiria julgada por aqueles que estão lá dentro”, disse.

“Se eles são judeus observadores, estão simplesmente seguindo os ensinamentos de sua religião. Como cristã gentia, estou seguindo os meus ensinamentos (cf. Atos 15: 19-20)”, declarou.

“Mas imagine que eu entre em um desses restaurantes e exija que eles cozinhem um cheeseburger para mim. Peço que violem suas crenças religiosas por causa de minha preferência pessoal. Eu poderia pedir um cheeseburger no McDonald's, mas insisto que, como esse restaurante kosher serve ao público, ele deve fornecer o que o público deseja”, disse Karen.

“Se eles recusarem, eu proponho uma ação legal e os tribunais concordam comigo. Como resultado, um restaurante kosher precisa preparar comida não-kosher, violando as crenças e práticas religiosas de seu proprietário ou fechar suas portas”, analisou.

“Esse cenário parece ridículo porque é. Não conheço simpatizantes nazistas que pediram com êxito os tribunais para forçar os padeiros judeus a produzir bolos com suásticas sobre eles. Ou não-muçulmanos que exigiram com sucesso padeiros muçulmanos para fazer bolos difamando o Profeta Muhammad”, diz Karen.

“Mas os cristãos evangélicos são regularmente solicitados a violar nossas crenças religiosas por aqueles que afirmam que nossos direitos estão violando os deles”, explicou.

Fonte: Guia-Me

Postar um comentário

[blogger][disqus][facebook][spotim]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget