Notícias e informação para o povo de Deus, dicas, meditação, reflexão, palavra, devocional, música, conteúdo de qualidade!

China barra atuação de juristas evangélicos do Brasil na ONU

China barra atuação de juristas evangélicos do Brasil na ONU

O governo da China criou obstáculos para que a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) passe a representar os cristãos brasileiros nas Nações Unidas, informou o jornalista Jamil Chade em sua coluna no UOL.

Em reunião nesta segunda-feira (20) em Nova Iorque, o governo chinês pediu que a Anajure explicasse seu alcance global que justificasse a obtenção de um status consultivo na ONU. 

Os juristas evangélicos pretendem apresentar uma resposta para Pequim nesta sessão.

Em nota, a Anajure disse que a China exerceu "um direito regimental ordinário" ao fazer um questionamento específico sobre a atuação internacional da entidade.

"Não há veto por parte de qualquer país, nem encerramento das deliberações sobre as novas ONGs, como a Anajure, que aplicaram para fazer parte do sistema ONU. Os trabalhos, com nossa efetiva participação, seguem firmes até o dia 29, inclusive, com o importante apoio da Missão Diplomática do Brasil perante a ONU em New York", destacou a Anajure.

A Anajure solicitou o status consultivo em 2017, mas o processo foi impulsionado em 2019, já que a entidade representaria um reforço para a agenda da diplomacia do governo de Jair Bolsonaro, principalmente no que se refere aos direitos humanos.

Um dos principais promotores da ação internacional é o jurista Uziel Santana, presidente da Anajure. Ele explicou que a entidade evangélica tem feito um trabalho com refugiados em países do Oriente Médio e que vem também trabalhando em coordenação com o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, no Brasil. 

Depois de serem aprovadas pelo Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), as entidades podem designar um representante em Nova York e Genebra, onde participam dos debates e podem fazer seu lobby. 

Algumas entidades do Brasil contam com esse status, como representantes de interesses indígenas e direitos humanos.

* A matéria foi atualizada em 22 de janeiro com uma nota oficial da Anajure, esclarecendo que não houve veto da China sobre sua representação na ONU.

Fonte: Guia-Me

Postar um comentário

[blogger][disqus][facebook][spotim]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget