Notícias e informação para o povo de Deus, dicas, meditação, reflexão, palavra, devocional, música, conteúdo de qualidade!

Canadá pode prender quem ajudar pessoas a abandonar a homossexualidade

Canadá pode prender quem ajudar pessoas a abandonar a homossexualidade

Um canadense que luta contra a atração indesejada pelo mesmo sexo e inclinações para os transgêneros está implorando ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau e parlamentares do país que não criminalizem a terapia que ajuda menores de idade a lidar com as mesmas lutas que ele.

“Demorei tanto para fazer este vídeo porque acho que tive que me ajustar ao choque de que possivelmente seria ilegal compartilhar minha própria história”, disse Hudson Byblow, um professor católico de renome internacional, palestrante e membro da organização ‘Courage International’, em uma mensagem de vídeo para Membros do Parlamento Canadense.

“Eu sou uma pessoa que tem atrações pelo mesmo sexo e inclinações transgênero, ambos sendo parte da minha história, e passei muito tempo compartilhando minha história de como encontrei paz e alegria fora dessa mentalidade, independentemente de onde minhas atrações estivessem”, Acrescentou Byblow, que tem 39 anos e vive em Saskatchewan.

“Eu tenho uma voz, e no momento em que ela for suprimida, será como, o que isso diz sobre nosso país? O Norte verdadeiro, forte e livre?”, questionou.

O vídeo de Byblow é o quinto de uma série coproduzida pela Coalizão ‘Campaign Life’, grupo pró-família e pró-vida nacional do Canadá e também pelo portal ‘LifeSiteNews’, no qual os indivíduos relatam como foram ajudados a lidar com atração indesejada pelo mesmo sexo ou confusão de gênero.

Todos eles exortam os parlamentares do Canadá a não aprovar o projeto de lei 8, reintroduzido pelos liberais em outubro como projeto de lei C-6.

O projeto de lei abrangente acrescenta cinco novas infrações ao Código Penal: fazer com que um menor de idade (definido como menor de 18 anos) seja submetido à terapia de conversão; remover um menor do Canadá para fazer terapia de conversão no exterior; fazer com que uma pessoa se submeta à terapia de conversão contra sua vontade; lucrar com o fornecimento de terapia de conversão; e anunciar uma oferta para fornecer terapia de conversão.

As três primeiras infrações são puníveis com até cinco anos de prisão e as duas últimas com até dois anos de prisão.

O projeto de lei define como "terapia de conversão" qualquer "prática, tratamento ou serviço destinado a mudar a orientação sexual de uma pessoa para heterossexual ou a 'identidade de gênero' para cisgênero, ou para reprimir ou reduzir a atração não heterossexual ou comportamento sexual".

O projeto de lei C-6 observa: “Para maior certeza, esta definição não inclui uma prática, tratamento ou serviço relacionado à transição de gênero de uma pessoa; ou à exploração de uma pessoa de sua identidade ou ao seu desenvolvimento”.

Sua história é “forte demais para a Lei”

No entanto, se o projeto for aprovado, “então acho que terei de ir para a cadeia por compartilhar minha história. E ainda terei de agradecer aos legisladores canadenses por isso”, disse Byblow em sua mensagem aos parlamentares.

“Eu não quero que isso aconteça, obviamente, mas fico sem opções, certo? Isso deixa a pessoa escondida. Esconda-se porque sua história é forte demais para a Lei”.

Em uma longa entrevista com a Grandin Media em 2018, Byblow relatou sua jornada de um jovem problemático enredado na pornografia homossexual e transgenerismo ao cristianismo, encontrando a alegria de viver uma vida casta.

Ele disse que agora é membro da Courage International, um apostolado católico para homens e mulheres que experimentam a atração pelo mesmo sexo e querem viver de acordo com os ensinamentos da Igreja Católica.

“Eu me perguntei 'Sou uma sexualidade com uma pessoa ou sou uma pessoa com sexualidade?' Para mim, isso foi como um 'Boom!'. Não posso, por uma questão de honestidade, me considerar uma pessoa hétero ou gay ou uma pessoa trans. Eu tenho que me chamar de pessoa. Minha personalidade é meu primeiro ingrediente, por assim dizer”, relatou Byblow então.

“É importante que este tópico não seja reduzido à mera gestão de comportamento. Trata-se de pessoas reais com corações reais, mas também escolhas reais de viver ou não uma vida de castidade”, acrescentou.

“Mas eu sei que nunca poderia ter escolhido conscienciosamente viver na castidade, a menos que primeiro tivesse vindo a ver a alegria disso por conta própria nos outros”, disse Byblow. “Nunca sabemos o que Deus pode fazer. Às vezes, Ele nos permite carregar uma cruz de experimentar algo que preferiríamos não experimentar. Depende de nós tomar essa cruz e segui-Lo de qualquer maneira".

Ideias vão se tornar ódio

Em sua mensagem aos parlamentares, Byblow os exortou a não "se curvarem às demandas" de "ativistas radicais" e descreveu que o "movimento do orgulho LGBTQ" é "uma religião em si" e uma "ideologia oposta".

“Se nossas leis meio que se curvarem às exigências desses ... eu diria, ativistas radicais, então as ideias se tornam ódio”, explicou

Se isso acontecer, “algumas pessoas rancorosas” terão a capacidade de “prejudicar qualquer pessoa que acredite em algo diferente”, disse Byblow.

“Para mim, isso torna o movimento do orgulho LGTBQ, ou o movimento ativista, nada menos que uma religião por si só, e agora estamos falando sobre ideologias opostas”, destacou.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

[blogger][disqus][facebook][spotim]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget