Notícias e informação para o povo de Deus, dicas, meditação, reflexão, palavra, devocional, música, conteúdo de qualidade!

Médico diz que o segredo para se preparar para a morte é “andar com Cristo”

O médico Joel Cho, que trabalha há quase 20 anos em ambiente hospitalar, disse que sua profissão “talvez não seja tão glamorosa quanto o que...

Médico diz que o segredo para se preparar para a morte é “andar com Cristo”

O médico Joel Cho, que trabalha há quase 20 anos em ambiente hospitalar, disse que sua profissão “talvez não seja tão glamorosa quanto o que se vê na televisão”.  Descrevendo sua rotina como “intensa”, ele diz que cuida das pessoas nos melhores e piores momentos de suas vidas. 

“De todas as diferentes situações que enfrentei, os momentos profissionais mais memoráveis ​​foram cuidar de pacientes terminais”, ele compartilha em seu artigo no The Gospel Coalition.

“Já estive em muitos leitos com pacientes perto do fim da vida — algumas vezes, mesmo quando eles davam seu último suspiro. Até perdi a conta do número de certidões de óbito que preenchi ao longo dos anos”, disse.

“Mas minha experiência não é única entre os profissionais da minha profissão, exceto, talvez, pelo fato de eu ser um cristão que trabalha num grande hospital no coração de São Francisco, uma cidade conhecida como a ‘metrópole menos cristã’ dos Estados Unidos”, relatou.

Recursos do Evangelho para a questão da morte

“A maioria das pessoas que morreram no meu turno não eram crentes. Com poucas exceções, fui o único médico cristão do meu grupo durante a maior parte da minha carreira”, contou.

“Esse ponto de vista me colocou numa posição única para ver como o Evangelho fornece recursos muito melhores do que qualquer forma humana de lidar com a angústia existencial da morte”, explicou. 

“Quando cuido de pacientes terminais, pergunto se eles gostariam de ver um capelão ou se frequentam uma igreja. Essa é a minha tática para avaliar se eles têm interesses espirituais. Neste ponto da minha carreira, devo ter feito essa pergunta várias centenas de vezes. Apenas um punhado de pacientes disse ‘sim’”, revelou.

‘A morte parece algo confuso para pacientes terminais’

O médico explica que a “morte” é, inicialmente, um conceito confuso para a maioria dos pacientes terminais. “Não vi muitas lágrimas quando dou a infeliz notícia de que um paciente tem uma doença fatal”, contou.

“Em vez disso, o que é muito mais comum é um olhar de perplexidade. Embora todos saibam que a morte é inevitável, a maioria não sabe o que fazer com a notícia de um diagnóstico terminal”, apontou.

“Eles não veem a morte como algo iminente, como um chamado para avaliar suas vidas e mudar. Após o choque inicial, a maioria dos pacientes continua vivendo o resto de seus dias como sempre. Eu nunca vi um paciente reverter sua filosofia de vida porque o fim finalmente chegou”, refletiu.

‘Lembre-se do seu Criador’

“Já ouvi algumas pessoas dizendo: ‘Vou viver como quiser enquanto for jovem e, quando der, vou levar minha vida espiritual a sério’. Tenho certeza de que isso pode acontecer, mas nunca vi isso com meus pacientes”, testemunhou.

Cho lembrou da fala de Salomão: “Lembre-se do seu Criador nos dias da sua juventude, antes que venham os dias difíceis e antes que se aproximem os anos em que você dirá: Não tenho satisfação neles”. (Eclesiastes 12.1)

“As palavras de Salomão provaram ser verdadeiras com quase todos os pacientes a quem dei a triste notícia de um diagnóstico terminal. A menos que tivessem procurado seu Criador antes que o diagnóstico chegasse, era improvável que o procurassem depois”, presumiu. 

Porém, o oposto é verdadeiro, conforme o médico explica. “Pessoas que são próximas de Deus e fiéis a Ele, também permanecem assim na hora da morte”, disse ao compartilhar uma experiência marcante.

“Sei que Deus está comigo”

“Certa manhã, cheguei ao trabalho e, como sempre, recebi uma nova lista de pacientes hospitalizados para cuidar naquela semana, que incluía um homem de meia-idade com câncer incurável”, contou.

“Meu trabalho era certificar-me de que sua dor estava sob controle razoável e, em seguida, dar-lhe alta do hospital para que ele pudesse voar para sua cidade natal e passar seus últimos dias lá”, continuou. 

“Quando entrei no quarto mal iluminado desse homem, eu o vi — quieto, caquético e sem cabelo. No entanto, ele estava surpreendentemente calmo e agradável. Eu poderia dizer que ele estava com um pouco de dor, mas havia um ambiente de paz que preenchia a sala”, descreveu. 

“Depois de discutir seu regime de dor e problemas médicos relacionados, fiz minha pergunta habitual: ‘Você gostaria de ver um capelão?’ Recebi o habitual ‘não’. Mas desta vez por um motivo diferente. Com um grande sorriso no rosto, ele respondeu: ‘Dr. Cho, eu sou um cristão. Eu sei que Deus está comigo. Eu estou bem’”, lembrou das palavras do paciente. 

“Não vou mudar porque estou morrendo”

Depois de ouvir as palavras tranquilas do paciente, o que se seguiu foi uma conversa curta e agradável, conforme o médico descreve: “Foi uma conversa com um irmão sobre a alegria e a esperança que temos em Cristo”.

“O homem me disse que andava fielmente com Deus há algum tempo: ‘E eu não vou mudar porque estou morrendo!’ Embora seu corpo físico estivesse enfraquecendo rapidamente, e tudo o que ele conhecia nesta vida estivesse sendo tirado dele, a esperança da ressurreição permaneceu, conforme 2 Coríntios 4.16”, citou Cho.

“Vi que a esperança cristã desse homem era agora mais real para ele do que nunca. Com sua permissão, coloquei minhas mãos sobre o homem e orei por ele. Então eu dei alta do hospital com analgésicos suficientes para controlar seus sintomas no caminho de volta para casa. Isso foi há muitos anos. Quando o vir da próxima vez, sei que ele não vai mais precisar de um médico”, refletiu.

Conclusão

A verdade é que, raramente, haverá alguém totalmente preparado quando a morte chegar. O médico disse que também já viu cristãos encarando a morte de forma desesperada.

“Vi crentes tomados pelo medo, desespero, dúvida e raiva no final. O inimigo não é passivo mesmo em nossas horas de desvaneciemnto", alertou.

“Mas, embora a maneira pela qual os cristãos enfrentam a morte varie, sou tão grato que o domínio de Cristo sobre as almas de seu povo nunca muda”, disse ao citar João 10.28: “Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão”. 

“A melhor maneira de se preparar para a morte é andar fielmente com Cristo, um dia de cada vez. Confie nele hoje como você quer confiar nele no final. Então, algum dia — assim como meu paciente — você caminhará para a eternidade com o Deus fiel que o guiou por toda a sua vida”, concluiu. 

Fonte: Guiame com informações de The Gospel Coalition

COMMENTS

Nome

'Momo',1,"Eu quero ir",1,“Aguardo o Dia”,1,“Casa na Rocha”,1,“Em Casa”,1,“Mais Alto”,1,“Quem é esse?”,1,“Quero Te Adorar”,1,“We magnify his name”,1,10 Mandamentos,1,19ª edição do Grammy Latino,3,2018,2,2019,5,22 anos,1,3 Palavrinhas,1,360 Wayup,1,6 milhões,1,60 Minutes,1,a,1,A Bíblia Kingstone,1,Abaixo-assinado,1,abandona,1,Abílio Santana,1,Abin,2,abor